A tecnologia de motorização em transformação ‒ os materiais de aço relaminado no futuro

20.11.2020 | Feiras & eventos

Em 19 de novembro de 2020, a Waelzholz esteve presente na primeira edição digitalizada do 34o Colóquio sobre Aço de Aachen (Aachener Stahlkolloquium) com uma palestra sobre a relação entre os conceitos de motorizações automotivas e as demandas de materiais. O evento deste ano, realizado de forma on-line, foi organizado pelo IEHK (sigla alemã para Instituto de Metalurgia) da RWTH (Universidade Técnica da Renânia do Norte-Vestfália) de Aachen. No foco, que teve como mote “steel and more”‒ “aço e ainda mais”, estiveram temas relacionados à tecnologia de materiais como os desenvolvimentos e tendências de produtos para conceitos de mobilidade e manufatura aditiva. Também foram expostos novos métodos de design de material e conceitos de utilização com tolerância a danificações em materiais nos 25 vídeos, apresentados por representantes da indústria, política e ciência.

No âmbito da nossa série de palestras “Materiais em Prol da Mobilidade”, Norbert Brachthäuser, responsável na Waelzholz entre outros por Aço Elétrico no departamento de Assistência Técnica e Desenvolvimento, dissertou sobre conceitos de motorização e as demandas de materiais de aço relaminado e aço elétrico a eles associadas. A partir de exemplos de diversos componentes de veículos, Brachthäuser demonstrou que alguns materiais, independentemente do conceito de motorização, continuarão sendo necessários na produção automotiva. Isso se aplica às áreas de segurança, chassi, conforto e assentos. A clássica demanda por aço relaminado para motores e transmissões poderia cair ou até mesmo ser suprimida como, por exemplo, no caso da fabricação de balancins do motor. Em contrapartida, com os veículos elétricos acionados por baterias e sistemas híbridos, o consumo de materiais especiais como aço elétrico terá um aumento enorme (Imagem 1).

 

Imagem 1: Transição da demanda de aço relaminado (laranja) para aço elétrico (verde) em aplicações automotivas nos motores e transmissões.

 

De acordo com o respectivo conceito de motorização elétrica, serão necessárias diferentes especificações de aço elétrico cujas propriedades, tais como perdas de potência, polarização, resistência e processabilidade, terão que estar balanceadas. Por exemplo, a espessura de tira desempenha um papel determinante na redução de perdas por correntes parasitas. Com espessuras nominais mínimas, o aço elétrico de grão não orientado (produtos GNO) da Waelzholz atende a essa exigência.

Ao concluir sua palestra, Brachthäuser ainda se referiu ao bem-sucedido trabalho em conjunto com a RWTH Aachen no desenvolvimento no setor de qualidades GNO e apresentou o volume previsto necessário para esse grupo de materiais (Imagem 2). “A evolução das quantidades necessárias na área de propulsões mecânicas levará a um rápido crescimento da demanda destes produtos semiacabados”, afirmou o especialista em aço elétrico.

 

Imagem 2: Previsão da demanda de aço elétrico GNO na espessura indicada “e” para diferentes sistemas de acionamento.

Entre em contato conosco!
Compartilhar artigo:
/ voltar